terça-feira, 28 de outubro de 2008

Dois dedos de conversa...

Ontem vivi mais um momento de partilha. Desta vez com uma pessoa bem mais velha, mas muito, muito querida.

Tirei então um pouco da minha tarde, e fui em conjunto com a Marta e com a Marisa, fazer uma visitinha, (como se custuma dizer, uma visita de médico) ao Lar de Sta Maria. Reencontrei uma senhora que havia visto na última visita que fiz ao lar. Uma senhora com cerca de 96 anos, e que por SINAL, era muito amiga da minha bisavó. Apesar de já não se recordar de mim, tratou-me como se me conhece-se há anos, e perguntou logo de quem eu era filho. Como já sabia que ela conhecia a minha avó, comecei logo por dizer, que era neto da D.Guiomar, que vivia em frente a torre do relógio (Igreja da Misericórdia), e ela rapidamente associou. Repetiu-me vezes sem conta, que era de Estombar (Cidade do Algarve, onde é natural), e que era muito amiga da minha bisavó.

De entre as conversas eu ia entrecalando com uma simples pergunta: 'Como é que me chamo?'. A senhora esquecia-se rapidamente, e tinha sabido à coisa de 5 minutos. Depois de me dizer que não se recordava, olhou-me nos olhos como que a pedir que lhe disse-se. E assim o fiz. Mal soube o nome, fez uma ligação muito rápida com a passagem biblica, em que Jesus diz a Pedro que lança-se as redes ao mar. E sempre me repetiu a história sempre que lhe perguntava o meu nome.

Durante o tempo que lá estive sentado na rua com a senhora, uma das coisas mais incriveis e tão simples, foi a passagem de uma senhora na rua, e a D.Teresa (a senhora que estava comigo), gritou e assenou com toda a sua força com um grande sorriso no rosto. Perguntei-lhe então quem era, e ela respondeu-me: 'Não sei quem é... Mas é minha irmã!'. Fiquei sem resposta, pois foi um acto tão simples e tão sincero, que muitas vezes nos esquecemos da sua importância. Mas para a D.Teresa não, era mais do que um gesto banal...
Outro dos gestos, foi uma pequena confidência que me fez, muito ingénua, mas que no seu ver era muito importante. Senti-me feliz por isso! Senti-me útil!

E com isto, sem dar conta, apareceu a Marta e a Marisa, 45 minutos depois, que já tinham feito a visita toda, e eu ali tinha ficado a dar atenção aquela tão simples senhora, que não me deixava sair por nada, e que sempre recomenda: 'Muito Juízo! Juízo!'


Um início de tarde diferente... :)





Há melhor coisa que nos sentirmo-nos especiais na vida de quem estamos a ajudar?!






Por: PT

domingo, 26 de outubro de 2008

Saudade ^^

Há dias em que acordamos decididos... decididos a tornar tudo mais fácil, decididos a esquecer tudo aquilo que ficou para trás e que nao podemos voltar a ter, decididos a mudar o rumo da nossa vida. Mudar tudo assim, seria sem duvida virar uma página da nossa vida e esquecer o que nos magoou, o que nos fez chorar, o que nos fez sofrer... Mas isso é como que impossivel, pois o coração sente o agora e relembra o antes, relembra-o com saudade!



Saudade, o que significará de facto esta palavra?!


Há um tempo a trás vivi uma grande experiência que deixou um estranho sentimento em mim. Uma sensação confusa de vazio, de dor, de solidão. Hoje, sei que este sentimento é chamado de saudade, ou seja, para mim a saudade é, assim como dizia Roque Schneider, a presença ausente de alguém. Sim... sinto SAUDADE do que vivi e, essencialmente, de quem viveu tudo aquilo comigo!



Hoje, sei que não posso voltar a ter tudo de igual forma, mas sonho que um dia possa voltar a ter algo assim tão especial. “ Saudade é a certeza de ter vivido e sentido o que algum dia, em algum lugar, nos marcou para toda a vida.”



Por: Marisa